Cambará do Sul – a cidade dos Cânions
América do Sul Brasil Rio Grande do Sul

Cambará do Sul – a cidade dos Cânions

A pequenina Cambará do Sul está localizada entre dois parques nacionais da grande cadeia de cânions do Sul do Brasil. É o destino ideal para se desligar de grandes cidades e curtir intensamente a natureza. Essa região dos grandes cânions do sul é bem diferente dos destinos mais tradicionais da Serra Gaúcha. Mas emendar os dois tipos de roteiro pode ser uma ótima combinação.

Nossa impressão já pelo caminho é de desbravar uma floresta e se deparar com uma cidade escondida: com casinhas de madeira e uma única rua principal.

 

COMO CHEGAR

O aeroporto mais próximo de Cambará do Sul é o de Caxias do Sul. O de Porto Alegre também é uma boa opção. Você pode partir de uma dessas duas cidades ou de Gramado até Cambará com algumas poucas empresas de ônibus, como a Citral. Pode também alugar um carro se preferir ter mais liberdade e não precisar de guia ou agência para chegar até algumas atrações.

No nosso caso, pegamos um ônibus direto do aeroporto de Porto Alegre até Gramado e de Gramado pegamos um transfer. Também é possível pegar um ônibus no aeroporto que tem uma única saída por dia e vai direto a Cambará do Sul. Na rodoviária é possível ter mais opções.

Como não fizemos essa viagem de carro, contratamos um guia da Agência da Colina para ir conosco até as atrações e gostamos bastante.

 

ONDE FICAR

Ficamos na pousada Cabanas Brisa dos Canyons e gostamos bastante da estadia. O atendimento é bom, funcionários bem atenciosos, os chalés de madeira simples e confortáveis, com cozinha e lareira. O preço foi ótimo e já inclui café da manhã super caprichado.

Acreditamos que nesses destinos, quando o centro da cidade é pequeno e com poucos atrativos, vale a pena procurar por uma estadia que também seja um atrativo em si, que proporcione atividades e experiências únicas e locais. Gostamos muito de vários pousadas com vistas espetaculares. Também pesquisamos sobre o Parador Casa da Montanha, um tipo de camping mais luxo, com super estrutura. Apesar de não ter sido nossa escolha, gostamos bastante da proposta e achamos que pode ser uma boa opção de estadia. Como nessa viagem Cambará do Sul era apenas um dos destinos, optamos por economizar nas estadias. Mas se o seu destino é apenas nessa cidade, aconselhamos buscar por <estadias-atrativos>!


QUANDO IR E QUANTO TEMPO FICAR

A alta temporada da Serra Gaúcha é no inverno, quando o frio é grande (para os padrões brasileiros) mas os dias são ensolarados. Aquela ótima combinação de dias lindos e noites aconchegantes na lareira. Nessa época, o fenômeno da serração (ou podemos dizer que é algo como uma neblina que invade os cânions) é menos frequente. Por isso, há uma certa garantia de maior visibilidade dos cânions. O verão é a época de chuvas e quando tem mais neblina, mas com a quebra do frio, dá para aproveitar as cachoeiras da região. Os meses mais secos, abril e maio, podem ser uma boa alternativa para ficar no meio termo.


Visitamos a cidade por três dias e conseguimos ver o principal. Gostaríamos de ter ficado mais para fazer outras trilhas super especiais e acreditamos que a região tem muito a oferecer, então valeria a pena esticar para quatro ou cinco dias.


Cânion Fortaleza, Cambará do Sul
Cânion Fortaleza, Cambará do Sul

 


O QUE FAZER

Centro

Na pequena e calma rua principal da cidade existem poucos atrativos: alguns restaurantes e lojinhas de artigos gaúchos, e uma concentração de agências de turismo de aventura. Além disso, existe o Museu Municipal Irmã Tasila, que possui peças doadas pelos moradores e conta um pouco dos hábitos da população e da história de Cambará do Sul. E não há muito além disso na cidade que rodeia a igrejinha Matriz de São José e a árvore que dá nome a cidade.

O grande atrativo de Cambará do Sul é realmente a natureza, pura e bruta. Vamos listar aqui as experiências (mais do que citar atrações) que julgamos imperdíveis:

Sinta toda a imensidão e contemple o doce som do silêncio nos cânions de Cambará do Sul

Cânion Itaimbezinho, Cambará do Sul
Cânion Itaimbezinho, Cambará do Sul


Cada um dos Cânions da cidade fica em um parque nacional diferente, criados um ao lado do outro. As agências oferecem os passeios (fomos com a Agência da Colina, maravilhosos!), mas quem está de carro pode ir por conta própria sem problemas. O ideal é visitar os cânions em dias diferentes. Cada parque tem algumas trilhas de média a longa caminhada, cada uma com sua beleza e todas, do nosso ponto de vista, indispensáveis. Porém, é possível fazer uma trilha de cada parque em um dia, no caso de uma viagem bate e volta. A recomendação em geral é fazer esse passeio pela manhã, bem cedo, quando há mais chance de boa visibilidade dentro dos Cânions, além da luz ser incrivelmente bonita e especial.

Cânion do Itaimbezinho

Está no Parque Nacional dos Aparados da Serra, o parque mais antigo da região (de 1959) que é super bem sinalizado. As trilhas são bem estruturadas e o local possui estacionamento. Não é obrigatório ir com guia.

Araucárias, Cambará do Sul
Araucárias


São duas as trilhas: uma mais longa, a do Cotovelo, e outra um pouco menor, a do Vértice. As duas provocam surpresas e mostram diferentes formas de olhar e perceber o mesmo cânion.


A Trilha do Cotovelo tem 6 km ida e volta e passa por uma borda do cânion. O caminho é tranquilo e praticamente todo plano. Até chegar aos paredões do Cânion, você caminhará por matas cheias de araucárias. Os últimos metros da trilha já são parte de um super mirante, onde se pode ver os enormes paredões bem de frente. Ali, parados no alto, olhando toda a beleza selvagem desse lugar, nos sentimos parados no tempo. Foi um dos momentos mais sentimentalmente intensos e memoráveis da viagem.

Cânion Itaimbezinho, Cambará do Sul
Cânion Itaimbezinho, Cambará do Sul


A Trilha do Vértice leva à Cascata Véu da Noiva que é um espetáculo à parte: uma grande queda, debruçada bem ao meio da grande massa verde que cobre os paredões. Não há nada como parar, sentar, ouvir somente o som da água caindo e se sentir pequenininho, mas parte de tudo aquilo naquele momento.

Horário de visitação: terça a domingo, de 08h às 17h. A entrada para a trilha do Cotovelo só é permitida até às 15h.
Valor da atração: R$5,00 de entrada, R$2,00 de estacionamento.

Cânion Fortaleza

O Parque Nacional da Serra Geral é mais recente, de 1992, tem menos estrutura e talvez seja por isso que seja o preferido de muitos, por ser mais selvagem, digamos. O único controle é um posto de fiscalização a poucos quilômetros do Cânion.

Cânion Fortaleza, Cambará do Sul
Cânion Fortaleza, Cambará do Sul


A trilha de acesso é tranquila, de 30 minutos desde o estacionamento, cerca de 300 metros. E de repente, uma grande surpresa: não parece, mas você já está andando por cima do cânion. E então, quando se dá conta, parece que o chão desabou e ali estão os grandes muros verdes de um pouco mais de 900 metros de profundidade. Dá para chegar super perto da borda, já que não tem um limite de segurança definido. Nos dias de céu mais limpo dizem que é possível ver o mar de Santa Catarina, já que estamos bem na divisa entre os dois estados.

Cânion Fortaleza, Cambará do Sul
Cânion Fortaleza, Cambará do Sul

Não foi o nosso caso, a neblina deixava o horizonte indefinido e um pouco depois de chegarmos invadiu a boca do cânion. Acompanhamos essa invasão da neblina e ficou um clima de sonho, quase como nos sentir acima das nuvens. Um dos cenários mais lindos que tivemos o privilégio de presenciar.  

Cachoeira do Tigre Preto, Cambará do Sul
Cachoeira do Tigre Preto, Cambará do Sul


Na volta, há outra trilha para o Mirante da Pedra do Segredo. Essa trilha é deliciosa e o caminho é na verdade a grande atração. Nela é possível ver outro ângulo do cânion e ficar deslumbrado com a Cachoeira do Tigre Preto. É de arrancar suspiros.

Horário de visitação: todos os dias de 8h00 às 17h00
Valor da atração: gratuito.

 

Desbrave as matas de araucárias em um passeio a cavalo

Passeio a cavalo, Fazenda em Cambará do Sul


Um passeio bem gaúcho para um fim de tarde! Fizemos a Trilha da Fazenda, entre floresta e colinas descampadas, ainda vimos o nascimento de uma ovelhinha. Também existe o passeio do Lajeado, que é melhor em dias mais quentes já que termina em um rio. E é merecido um mergulho refrescante!


ONDE NÃO FOMOS MAS GOSTARÍAMOS DE TER IDO

Cachoeira dos Venâncios

Um passeio tranquilo, numa fazenda particular. Não precisa ir com guia, é só chegar (pode ser de bicicleta) e seguir as trilhas rápidas. Dá para aproveitar e fazer um bom pequinique e só relaxar.

Trilha do Rio do Boi

Você também pode ter a maravilhosa experiência de andar literalmente dentro do Cânion do Itaimbezinho, abraçado pelas enormes paredes verdes e se refrescando pelo rio e piscinas naturais. São bons 9 km de trilha, mas acreditamos que deve valer a pena. O passeio dura um dia inteiro, das 8h às 18h, e custa a partir de R$ 170 por pessoa. Infelizmente não tivemos tempo para esse passeio.

 

ONDE COMER

Algumas sugestões para pratos bem variados:

No Casarão, o que faz mais sucesso é o rodízio de truta, bem típica da região.
O Galpão Costaneira tem bufê self-service com ótimo preço e comida campeira.
Zuppa Sopas & Afins tem sopas servidas no pão para aquecer bem no inverno.
Du Perau Pub Bar, o único bar da cidade, onde você pode experimentar a cerveja local Grota Bier, feita com água dos cânions.

 

Lareira no chalé do Brisa dos Cayons, Cambará do Sul
Lareira no chalé do Brisa dos Cayons, Cambará do Sul


Também fizemos compras em um mercadinho da cidade, compramos um vinho nacional e cozinhamos na cozinha do nosso chalé curtindo a lareira! Se tiver essa oportunidade, achamos super válido!


COMPRAS

No Armazém do Gaúcho você pode encontrar cuia e erva para chimarrão e botas de montaria. E a Kantu Quente recomendamos para roupas, casacos, cachecóis, acessórios e pantufas de lã.

Sabores da Querência é um sítio orgânico, onde dependendo da época do ano você pode ver a matéria prima dos produtos: árvores carregadas de várias frutas. Você pode tomar um café e experimentar as geleias e antepastos no próprio local.

Você viu recentemente ...

Teresópolis – 6 lugares para comer na serra

Rainbow Mountain, Cusco, Peru

Rainbow Mountain – nossa experiência por esse passeio diferente no Peru

Parque da Cidade, Niteroi

Parque da Cidade – O melhor lugar para a Golden Hour

Peru – as comidas típicas e mais exóticas!

Pico do Pão de Açúcar, Saco do Mamanguá

Saco do Mamanguá – O azul em forma de lugar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Contact Us

[contact-form-7 404 "Not Found"]